Natal, a força de uma data!

Ricardo V. Malafaia     24/dez/2017                                                                                                                                 

no-dia-25-dezembro-comemorado-natal-nascimento-jesus-cristo-566874d5b38c7

Há mais de 1.600 anos, sempre no dia 25 de dezembro, o Natal é celebrado com muita emoção, por centenas de milhões de pessoas, em todos os cantos do planeta. Mas qual a sua magia? E qual a sua força?

Alguns sempre o relativizaram, lembrando que a escolha da data teve a intenção de contrapor uma festa pagã relacionada ao solstício de inverno. Apesar da retórica, o Natal seguiu de pé!

A Igreja também é feita de homens. E por isto, em nome da instituição, erros históricos foram cometidos. E outros ainda são, por alguns de seus membros. Apesar destes graves equívocos, o Natal seguiu de pé!

No início de sua caminhada, um hábito romano foi introduzido na sua comemoração: a singela troca de presentes. E, ao longo dos séculos, outros símbolos foram também incorporados, como a árvore decorada. Enaltecido, o Natal seguiu de pé!

Meio sem querer, outro personagem não bíblico foi adicionado à sua celebração. Inspirado num santo de grande coração, o Papai Noel ganhou notoriedade natalina. Bem acompanhado, o Natal continuou de pé!

Mesmo em épocas de pestes, que dizimavam populações inteiras, esta data continuava acalentando os enfermos e seus órfãos. Apesar da dor, o Natal resistiu de pé!

Centenas de guerras se sucediam e por anos prosseguiam. Mas no último dia 25 do ano, muitas delas eram, por apenas algumas horas e por ambos os lados, interrompidas. Dentro de cada trincheira, comemoravam. E até fora dela, inimigos já se confraternizaram. Emocionadamente, o Natal de pé seguiu!

natal pobres

Na mesa do rico, muita fartura. Na do pobre, muitas vezes vazia. Mas antes de tudo, o Natal é sentimento, que dispensa opulências, pois carece apenas da capacidade de amar. Apesar das injustiças, o Natal de pé se manteve.

Há países onde o cristianismo prevalece. Mas há muitos outros onde os cristãos compõem uma arriscada minoria. E, devido ao fanatismo religioso, há muito vêm sendo implacavelmente perseguidos. Fruto, contudo, de sua inabalável fé, o Natal se manteve firme e de pé!

Com os tempos contemporâneos veio o materialismo assolador. Aquela singela troca de presentes foi engolida por um avassalador consumismo. Mesmo diante deste distanciamento de valores, o Natal resiste. E de pé, continua a seguir!

A modernidade também tem inflado o ateísmo e o distanciamento de Deus. Porém, quando se colocam diante de centenas de imagens espetaculares promovidas diariamente pela natureza, seus seguidores podem fraquejar em suas convicções. E se perguntarem: como um desajustado caos consegue ser o seu brilhante autor? E, a despeito deste questionamento, o Natal dá de ombros e vai seguindo de pé!

Correntes filosóficas pós-modernas têm procurado desmistificar o seu verdadeiro sentido, relativizando-o e dando mais ênfase às relações humanas do que ao verdadeiro contato com Deus. Apesar destas insistentes tentativas, o Natal vai seguindo, convicto e inabalável. E de pé!

pessoa rezando

Para ser profunda e verdadeira, uma autêntica celebração não necessita de um número maior de participantes. Data tão importante pode ser muito bem aproveitada por apenas uma pessoa. Estará só, mas não sentirá solidão, se, e somente se, estiver devida e profundamente acompanhada pelo Aniversariante do dia. E deste modo, o Natal jamais deixará de estar de pé!

Sim, e qual a verdadeira força do Natal? Como tem conseguido resistir tão bravamente por séculos e séculos, mesmo diante de um sem número de ameaças à sua essência?

Na verdade, a intensidade e o vigor do Natal têm apenas uma única razão: a força de um Menino, pobre e refugiado. Previsto nas escrituras e precedido por acontecimentos históricos, seu nascimento ocorreu em torno da mais absoluta simplicidade. E mudou o mundo!

E este Menino, que se tornou Homem, além de todos os ensinamentos que nos deixou, pouco antes de sua morte, presenteou-nos com uma de suas mais belas lições: o perdão!

De fato, mesmo diante de quaisquer crimes que alguém possa ter cometido, se, em algum momento, for tomado pelo mais profundo e autêntico sentimento de fé e de arrependimento, suas faltas poderão ser por Deus perdoadas. É o amor em seu mais puro estágio.

menino Deus

E esse amor com Deus, através do menino Jesus, é o verdadeiro significado da celebração do Natal. Nele, comemoramos o aniversário de quem veio por nós. E, antes que seu corpo partisse, mudou a História. E o tempo foi zerado. E uma nova contagem se iniciou!

Que a pureza representada por esta data se alongue por um ano inteiro. Que se permita que a Sua presença se faça por muito tempo. E que a Sua inspiração, a Sua luz e o Seu amor contagiem os nossos dias que virão em 2018.

Um Feliz Natal de saúde, paz, amor e união com Deus!

 

 

  • Se desejar que a reflexão se torne uma ação, compartilhe clicando, abaixo, no botão do WhatsApp ou no do Facebook.
  • Deixe o seu comentário. A sua opinião faz toda a diferença.
  • Uma sociedade em busca não conhece muros!

11 comentários

  1. Que lindo texto! Elucidativo e ao mesmo tempo tocante. Percebo todo ano uma energia muito forte na noite do dia 24 e durante todo o dia 25, algo como se todas as pessoas no mundo estivessem sentindo algo especial e transparecendo esse sentimento.

  2. Parabéns. Grande Ricardo! Um abraço. Feliz Natal e Ano Novo, cheio de prosperidades.

  3. E que preencham os corações de todos os brasileiros de boa vontade em 2018. Feliz Natal Luiza!

  4. Grande Ricardo e suas pontuais reflexões, mostrando e refletindo sobre a Família moderna e os alicerces de nossa Igreja, lembrando os aspectos históricos. Parabéns meu amigo Ricardo.

  5. Parabéns, gosto muito do que escreve! Sempre traz algo novo, com conteúdo histórico, muitas realizações nesta jornada!

Deixe o seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s