1º Artigo

Valores. Para uma sociedade, nada é mais importante!

Ricardo V. Malafaia          10/set/2017

socplatarist

Nos primórdios, quando o homem vivia em pequenos grupos, códigos morais já eram utilizados, pois eram necessários para regular o que era certo e errado dentro de cada contexto. Entretanto, a Ética, conceito mais elaborado e que discute os valores morais, provavelmente teve seu inicio com Sócrates, Platão e Aristóteles, hoje considerados os pais da Filosofia Ocidental.

Mais tarde, Santo Agostinho e São Tomás de Aquino introduziram a ideia de que a virtude moral passa pela relação com Deus, e acabaram influenciando a forma como a Ética foi percebida durante toda a Idade Média. Nos séculos seguintes, grandes filósofos como Descartes, Kant, Hegel e Nietzsche, entre outros, trouxeram diferentes perspectivas sobre este ramo da Filosofia.

A sociedade brasileira, infortunadamente, não teve a oportunidade de se desenvolver numa terra originalmente preparada para acolher, mas sim apenas para colher. Extrair, colher e levar embora! A despeito de toda a sua exuberância, relegaram-na, pobre e doce mãe gentil, à mera provedora de riquezas para além-mar, fomentando-se um triste extrativismo predatório, ora vegetal, ora mineral.

Capitanias - BRASIL ESCOLA

Embora a época dos ciclos econômicos tenha chegado ao fim, deixaram-nos com o pior dos extrativismos, o dos nossos direitos. Em meio aos infelizes desdobramentos daquele sistema, como os latifúndios, altos impostos e a escravidão, herdamos compulsoriamente os sombrios privilégios, os quais tiveram início nas Capitanias Hereditárias. Sim, elas eram hereditárias, e assim continuaram por 200 longos anos. De fato, durante 3 séculos, a Coroa permitiu que seus prepostos obtivessem ou mantivessem toda sorte de regalias. Maldita herança!

Curiosamente, ao mesmo tempo em que gerava revolta, também, de forma maniqueísta, o privilégio era objeto de desejo dos que não o detinham, motivo pelo qual acabou se perpetuando. E, uma vez que privilégio e ética são completamente contraditórios, não é difícil entender por que esta última, em franca desvantagem, tem tido um caminho tão árduo ao longo de nossa história. E por que o conflito?

Em última análise, o privilégio é a consumação do egoísmo. Portanto, de um lado, temos este vil comportamento cuja palavra deriva do latim ego, que significa eu, acompanhado do sufixo ismo, que expressa doutrina. O egoísta sempre procura canalizar todos os fins para o seu próprio umbigo e dispensa tudo que não o beneficia. E do outro, apesar das diferentes visões a respeito, ao longo dos séculos, por parte dos maiores filósofos da humanidade, é de senso comum que, em tempos contemporâneos, a Ética deve passar necessariamente pela igualdade de oportunidades, pela justiça social, pelo respeito, pela liberdade com responsabilidade, pela honestidade e pelo altruísmo. E, dentro deste contexto, o egoísmo não sobrevive!

farol (1)

Da mesma forma que os princípios morais de uma pessoa devem consistir no seu norte, valores forjados na ética precisam pautar as ações do coletivo. Como um barco que se guia por um farol quando cruza os mares, carecemos de um rumo, que deve ser orientado por estes preceitos de ordem moral.

A sociedade é como um organismo vivo. Que caminha! Que busca! Mas que pode se perder! E sofrer, por muito tempo! Mas, felizmente, também pode se encontrar! Entretanto, para tal, não deve abrir mão de fazer as pazes com seus próprios valores fundamentais, sem os quais não terá nenhuma chance de sobrevivência!

Contudo quando não lutamos por estes valores, com força, com coragem e com uma dose generosa de idealismo, não temos absolutamente nada! Uma sociedade que não busca se reencontrar com a sua própria ética, é uma sociedade condenada a vagar sem rumo, mergulhada em violência, impunidade, injustiça social e desigualdade. Neste universo, estaremos, definitivamente, sentenciados ao sofrimento cíclico e contínuo!

valores

Os valores mais profundos da ética formam a base de uma nação. Sem eles, ad eternum, a impunidade dos criminosos, pequenos ou grandes, será a regra; o Estado abusará de sua autoridade; os magistrados descolar-se-ão de suas missões; o meio político implacavelmente expurgará os honestos; quaisquer fiscalizações desaguarão em achaques;  os que detêm algum poder não resistirão em utilizá-lo em benefício próprio; os servidores corruptos não se envergonharão; os comuns desejarão ser menos comuns do que o seu próximo; os jeitinhos irão se sobrepor aos retos caminhos!

A longevidade de uma edificação depende da qualidade de sua execução. As grandes pirâmides egípcias estão sólidas há alguns milênios. Uma sociedade que busca estabilidade não pode prescindir de seu autoconhecimento – “Conhece-te a ti mesmo!”, afirmava Santo Agostinho. E, a partir disto, seguir buscando seus próprios fundamentos.

Uma grande nação necessita se desenvolver baseada em valores éticos claros, límpidos, cristalinos, os quais deverão conduzir, em segurança, o seu florescimento e o seu futuro! Um futuro de justiça, de paz e de prosperidade! Desde que, de forma coerente, coletiva ou individualmente, em público ou reservadamente, façamos o que precisa ser feito. Se este for o nosso destino, assim será!

 

9 comentários

  1. Verdade Ricardo qdo vc diz que a sociedade entrou num colapso por falta de valores morais. Nossa história e de extrativismo escravidão e privilégios . Realmente temos um legado de puro egocentrismo. Mas sempre podemos fazer a diferença através de cada um tomar as rédeas de sua própria maneira de pensar e agir. Agir com generosidade e esperança . Seguir em frente insistindo no amor próprio é auto estima.🌟🌟🌟

  2. Excelente texto. O autor demonstra claramente as razões pelas quais estamos mergulhados numa crise de valores sem precedentes.

  3. Texto bastante interessante. Apresenta uma abordagem sobre os valores mais importantes que uma sociedade deve sempre buscar para não se perder.

  4. Muito bom. É tão claro o caminho do bem estar social, mas quando a sociedade está doente devido aos muitos séculos de desmandos, impunidades, corrupção e outros males chegou-se a um ponto crítico, e estamos todos nós, Brasil e brasileiros, perdidos em nossa própria incapacidade de resolver nossos problemas.
    Parabéns, Ricardo, pelo excelente texto.

  5. Muito bom ler um texto tão bem escrito e de forma tão clara. Muito interessante ler sobre o passado, tão esclarecedor, para agora entender um pouco mais sobre o nosso presente.

  6. Artigo muito, muito bem escrito, com abordagens bastante apropriadas sobre os males da nossa sociedade. Excelente o conceito de que “privilégio é a consumação do egoísmo”.

Deixe o seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s